Comprar tecnologia não garante transformação digital

transformação digital das empresas recebeu um impulso em 2020. A mudança de comportamento e de consumo das pessoas fez com que as organizações repensassem no seu modelo de negócio, além de alavancar stratups para pensar em soluções para novos problemas de uma sociedade cada vez mais conectada.

De acordo com uma pesquisa feita pela McKinsey – “How covid-19 has pushed companies over the technology tipping point – and transformed business forever”  mostra que s empresas em todo o mundo foram forçadas a acelerar a adopção de tecnologias digitais em três a quatro anos, empenas alguns meses.

“As pessoas são fundamentais para o projecto da transformação digital”

 

A transformação digital não se trata apenas de abraçar a tecnologia. Trata-se de usar a tecnologia para transformar processos de negócios, modelos e cultura organizacional.
Trata-se de usar os insights trazidos pela tecnologia para visualizar novos modelos, mercados e maneiras mais eficientes de atrair, engajar e entregar valor aos clientes. É por isso que as organizações que se concentram em colocar pessoas talentosas em posições-chave no início dos seus projectos de transformação digital são mais propensas a ter sucesso.

Bons líderes terão uma visão clara do caminho digital que a organização deve tomar e da capacidade de inspirar os funcionários a trabalhar em prol da digitalização.

 

“Transformação digital tem a ver com talento, não com tecnologia.”

 

A tecnologia é sempre sobre fazer mais com menos, mas esta combinação só é eficaz se “emparelharmos” a tecnologia com as habilidades humanas certas. Assim como a interrupção tecnológica geralmente levou à automação e à eliminação de empregos desactualizados, ela também sempre criou novos empregos.

É por iso que a inovação é commumente descrita como destruição criativa. Mas o aspecto criativo da inovação depende inteiramente das pessoas. Se pudermos aproveitar a adaptabilidade humana para requalificar e aprimorar a nossa força de trabalho, podermos aumentar simultaneamente os seres humanos e a tecnologia. É realmente muito simples: a inovação mais brilhante é irrelevante se não formos habilidosos o suficiente para usá-la, e até m esmo as mentes humanas mais impressionantes se tornarão menos úteis se não se unirem à tecnologia.

A principal implicação é que, quando os líderes pensam em investir em tecnologia, eles devem primeiro pensar em investir nas pessoas que podem tornar essa tecnologia útil.

 

 



Deixe uma resposta